Carlos Serrão

as minhas notas e página pessoal…

FMI is in the air…

| 1 Comment

Já se nota claramente que o FMI aterrou em Portugal… o stress está no ar e isso claramente afecta as pessoas.

Trânsito matinal… um caos! Causa: alguém que, mergulhado no drama FMI, avariou o carro em plena entrada para a A5 (se é que alguém pode ser culpado do seu carro avariar, mas pronto). Conclusão: atafulhou o trânsito todo na ponte 25 de Abril. Um começo de dia normal, portanto…
Nestes dias, como sempre todos temos as nossas vidas afectadas. Chegamos mais tarde ao emprego, deixamos os filhos mais tarde na escola, temos que gramar com longas e intermináveis filas, enfim… o stress acumula-se.

O trânsito acumula-se de tal forma que é normal haver cedências de parte a parte… ora passas tu, ora passo eu – só assim se consegue que a fila vá andando um pouco. Depois existem aqueles que julgam que conduzem tanques em plena estrada, e que dentro dos seus couraçados metálicos, se julgam imunes a tudo e a todos!

Hoje calhou-me a mim ter de “levar” com um desses.

Numa dessas situações de cedência mútua, eis que me aparece um destes “condutores” que munido do seu veículo superior, não cedia um milímetro de espaço. Na altura em que fui tentar “meter” o meu “boguinhas” eis que oiço um acelerar furioso, seguido de uma travagem sonora, e rapidamente percebi o que vinha aí a seguir. No interior do seu “tanque”, ao lado da sua “amável” esposa e do seu filho inocente, eis que a criatura que conduzia, abriu ligeiramente o seu vidro, e soltou um estridente (e passo a citar): “Estraga-me os cromados, estraga, que eu parto-te essa cara toda!!!”.

Fez cara de mauzão, fechou o vidro, meteu pela faixa de emergência (entretanto quase derrubando um motociclista que entretanto por ali se metia – falhou-o por meros centímetros), e seguiu. Via-se que estava claramente transtornado pela vinda do FMI para Portugal.

Ficou entretanto parado à minha frente, a olhar para o espelho retrovisor, e espumar saliva pela boca. Enfim, se calhar tinha falhado alguma vacinação… ainda pensei em sair do carro, para que ele me explicasse cara a cara, como um homenzinho, como é que ele tencionava “partir-me a cara toda” (o que até podia não ser muito complicado), mas por respeito à “amável” esposa dele, ao seu filho de tenra idade que seguia no banco traseiro, por respeito à minha própria esposa, e ainda por respeito às outras centenas/milhares de condutores, optei por não fazê-lo. Este é claramente o tipo de pessoas que precisa de pensar que ficou a ganhar.

Azar do caraças, ele tomou o mesmo caminho que eu… segui-o de perto, e vi mais tarde o senhor a tentar fazer o mesmo que, minutos atrás, tão veementemente, tinha protestado. Passei ao seu lado, e abrindo o meu vidro, agradeci-lhe a amabilidade dele, estendendo o polegar da minha mão esquerda. 

Olhei pelo retrovisor… e como não poderia deixar de ser, ele retribuiu o agradecimento. Mas de forma diferente. Quer o “senhor”, quer a “senhora”, de mão erguida dentro do carro, estendiam ambos o dedo intermédio das respectivas mãos (acho que se percebe o quero dizer). Claro que isto não passou de mais um episódio de boa educação, e de mais um bom exemplo para o respectivo filho que seguia no seu carro. Tipo: “Estás a ver puto? Com o teu pai e com a tua mãe ninguém se mete!!! E quem se meter, leva disto, ou pior – leva nas fuças!!!”.

Nota-se claramente que o síndrome do FMI já está no ar…

Será que todas as manhãs vão passar a ser assim???

  • cafonso

    Estás a caminho de te tornares um verdadeiro ansião. Contenção e método.

  • RSS
  • Twitter
  • Buzz
  • LinkedIn
  • Flickr