Carlos Serrão

as minhas notas e página pessoal…

Youtube e Vimeo com suporte HTML5 nos vídeos

| 1 Comment

Numa altura em que os browsers começam a suportar de uma forma mais generalizada a nova geração de HTML (o HTML5), uma das principais novidades é o suporte nativo de vídeo.

Assim, quer o Youtube, quer o Vimeo, dois dos principais sites de alojamento e partilha de vídeos na Internet, passaram a suportar esta funcionalidade (em regime de teste). Ou seja, significa que não necessário possuir o plugin de Flash (que diga-se em abono da verdade, é muito exigente do ponto de vista de consumo de recursos da máquina, pelo menos em Mac OS X) instalado no browser, para poder ver vídeos nestes dois sites.

Para já os browsers suportados são o Google Chrome, o Safari da Apple, e o IE com o plug-in do Chrome (Google Chrome Frame). O IE nativo, o Opera e o Firefox (mesmo a versão mais recente 3.6) não são suportados apesar de implementarem também já o HTML 5. Isto deve-se a uma escolha estratégica da Mozilla não suportar a implementação do CODEC H.264 e apenas suportar o Ogg Theora. Como quer no Youtube, quer no Vimeo, a codificação de vídeo é feita recorrendo ao H.264, estes dois browsers (apesar de excelentes browsers) não conseguirem mostrar o conteúdo.

Por incrível que pareça, isto são óptimas notícias para a Apple e para o iPhone. Com o HTML 5 a surgir na maior parte dos sites como um substituto do Flash, deixa de existir a necessidade extrema de existir uma implementação Flash para iPhone (ou qualquer outro dispositivo smartphone) com todos os problemas que poderiam acarretar para o utilizador final. Com isto, os developers vão poder fazer o rollout de aplicações web mais interessantes e dinâmicas para dispositivos móveis.

  • Raphael S. Freitas

    Isso é sacanagem por parte do Google que sempre o software livre, e agora adota um codec proprietário para o youtube.A Fundação Mozilla ta certa em defender o OGG Theora que para min é a melhor opção que além de não precisar pagar para usá-lo, pode melhorar o codec por ser livre.

  • RSS
  • Twitter
  • Buzz
  • LinkedIn
  • Flickr