Carlos Serrão

as minhas notas e página pessoal…

Telemóveis nas salas de aula

| 7 Comments

Numa altura em que o assunto voltou a estar em discussão, e em que o próprio parlamento Francês se prepara para legislar sobre esta matéria, procurando impedir os alunos (das escolas primárias) de usarem os telemóveis nas aulas, invocando razões de saúde dos próprios alunos (protecção contra as radiações emitidas pelos aparelhos).

Pois bem, eu tenho uma opinião muito clara sobre o assunto. Os alunos devem e podem ter a liberdade de possuir um telemóvel e de o usar no espaço escolar, mas deveriam de ser impedidos de usar os mesmos durante as aulas. Passo a explicar o porquê desta minha opinião:

  1. É inconcebível que se possa proibir um meio de comunicação tão útil e prático como um telemóvel. Já por vezes pensei nisto: “quando não havia telemóveis não sentia a falta deles, mas agora não passo sem os mesmos”;
  2. Sobre a sua utilização, penso que os alunos deveriam poder usar livremente os seus dipositivos móveis de comunicação, da forma como entenderem (infelizmente, isto pode fazer com que alguns episódios menos positivos possam vir a ir parar ao Youtube, mas é algo a que teremos que nos habituar);
  3. Estou profundamente contra a sua utilização na sala de aula, desde que os mesmos sejam usados de forma a que perturbem as aulas – esta regra vale tanto para os alunos como para os professores, claro está. Sempre que possível, os mesmos devem estar em silêncio, e se por qualquer motivo, o mesmo tocar, os alunos devem tentar minimizar a situação, colocando o mesmo em silêncio ou desligando o mesmo;
  4. Em último caso, podem sempre usar o telemóvel para enviar ou receber um SMS esporádico, desde que a sua utilização não perturbe minimamente as aulas.

Enfim, a minha regra é a de que, telemóveis na escola com os alunos, sim. Telemóveis na sala de aula, apenas se os mesmos não perturbarem as respectivas aulas.

  • XXX

    Basta um aluno(a) pegar no seu telemóvel durante uma aula que já perturba o funcionamento do mesmo. O uso de telemóvel numa sala de aula deve ser proibido. Os alunos estão numa aula para aprender sobre o tema a ser explorado nessa aula e não pensar em enviar SMS a relatar com os amigos(as) “Esta aula é uma seca”. A tua afirmação é intolerável. É a mesma coisa do que estar numa reunião e alguém recebe uma chamada ou um sms e ouve-se o toque ou o BIP, a reunião fica parada por momentos, perturba o funcionamento e o desenrolar da mesma. Devias repensar o que é “fundamental”.

  • Helder

    Só pode ser engano! Ainda bem para os Franceses que o parlamento Francês vai proibir os telefones nas escolas primárias, apesar de o argumento ser, talvez um pouco rebuscado visto o que afirmam não se ter ainda comprovado, mas é triste é que tenha que ser o Parlamento a legislar sobre isso e não os pais a terem “dois dedos de testa”. Sabe o que são escolas primárias? São crianças dos 6 aos 10 anos! Necessitam de telemóvel para quê? Sim, para quê? Precisam é de crescer com calma e sem a mania que existe hoje de deixar os miúdos fazer o que querem e dar tudo o que pedem!! Isso sim, deixá-los crescer com calma! Em vez de telemóveis ofereçam berlindes, piões, etc. É isso que precisam de brincadeiras simples, mas que desenvolvem as relações sociais e não de Nintendo DSI, PSP’s, telemóveis, etc. que desenvolvem o quê? O movimento do polegar? Que bom, vou ter mais músculo no polegar! Quando chegar a altura (teenagers e mesmo assim já avançados, não precisa de ser logo nos 13 anos de idade…) logo terão acesso a outras coisas. Eu ando pelos 30 e poucos de idade e cresci sem telemóvel, penso que também cresceu, mesmo na sua adolescência sem telemóvel. Precisou dele? Se calhar teve que ter um sentido de responsabilidade mais desenvolvido porque tinha que chegar a horas porque não podia contactar os pais a qualquer momento, etc. E depois queixam-se que os miúdos de hoje são assim e são assado e que não têm valores nem respeito…

  • Rui

    Carlos, mas aquilo com que tu concordas, já está previsto na lei, ou seja, é expressamente proibido gravar uma aula (vídeo e audio), tirar fotografias, e pertubar a própria aula com conversasões paralelas que não do interesse da matéria, sem autorização prévia, do professor, ou de uma entidade superior. Logo, o uso de um telemóvel dentro da sala de aula é proíbido. e quê? alguem respeita? não, é uma palhaçada. Este ano lectivo fui professor de uma turma CEF, foram apanhados vários alunos com telmóveis a fazerem exactamente aquilo que eu disse acima que estava proíbido. Ainda foram apresentados ao CE, mas deram-lhe uma 2ª oportunidade, uma 3ª oportunidade, uma…É assim a educação nas escolas públicas. Lutar pelas estatísticas apenas… quero é sair deste país…

  • Carlos Martins

    Completamente de acordo. E serve até para “ensinar” as regras do comportamente cívico aos alunos… que serão válidas para tantas outras situações, como quando estão num cinema… ou até num restaurante.Infelizmente, todos nós assistimos frequentemente a maus exemplos em todo o lado… mas não é por isso que devemos banir tudo a torto e a direito.Não é inconcebível – com o aumento da tecnologia – chegarmos a um dia em que o telemóvel se torne ferramente essencial do processo de ensino, a servir de “bloco de notas” que guarda vídeo, som, e dados – e que sirva de projector para apresentação dos trabalhos dos alunos.Daí que, estar a proibir o seu uso neste momento, será algo que apenas servirá para “atrapalhar” a sua utilização útil num futuro próximo.

  • Carlos Serrao

    Sim, podes ter razão… mas o que impede, esses mesmos alunos, de estarem a usar uma coisa chamada “Magalhães” e pegarem num IM qq e estarem divertidos a trocarem informação com os colegas, sobre a seca da aula?Por princípio acho que não devem usar telemóvel nas salas de aula, mas haverá forma eficiente de os impedir?

  • Carlos Serrao

    Tens toda a razão… os miúdos de hoje têm coisas a mais… e de facto não precisam do telemóvel para nada – principalmente os mais novos.

  • Carlos Serrao

    Eh.. isso… tens razão. Existem regras mais não são seguidas…

  • RSS
  • Twitter
  • Buzz
  • LinkedIn
  • Flickr