Carlos Serrão

as minhas notas e página pessoal…

Chuva”scal”

| 1 Comment

Media_httpcarlosserra_lvaut

Isto começa a parecer um “déjà vu“. De cada vez que chove em Portugal, é o caos. E de quem é a culpa? Da chuva? Não me parece meus amigos… não me parece…

Perguntem aos vossos pais e aos vossos avós, como eram os Invernos passado. E depois comparem com os actuais Invernos. Todas essas pessoas vos dirão que os Invernos anteriormente eram muito mais rigorosos, e que choviam durante diversos meses, e com bastante intensidade. E havia este caos? Havia? Não havia não…

É óbvio que havia menos pessoas, menos carros, menos estradas, menos construção. Mas comparem também o nosso país e o nosso clima com países em que o clima é bastante mais rigoroso. E não vemos o mesmo caos. Claro que as alterações climáticas têm a sua quota parte de culpa, pois estamos com um clima mais instável, e com períodos de chuva mais curtos mas mais intensos…

Mas e depois… o que dizer da forma como as nossas estradas, túneis, caminhos de ferro, condutas, entre outros, estão construídos, planeados e mantidos? Apenas uma palavra… VERGONHA.

Agora basta chover um pouco e temos estradas alagadas, túneis alagados, caminhos de ferro cortados, condutas de esgotos e de gás completamente cortados e alagados, enfim completamente caótico.

E que tal olhar para todos esses erros de concepção, e vermos o que alguns “engonheiros” e construtores andam para aí a construir… poupam dinheiro ao não fazer as obras com as condições de segurança necessárias, para pouparem dinheiro. E depois todos custos das obras “derrapam”…

E que tal limparem igualmente as sarjetas? E verificarem o escoamento de águas? E verificarem onde constroem as coisas?

E a culpa é de quem? De ninguém, claro está!!! A culpa morre sempre solteira em Portugal… pelo menos nestes casos.

  • Carlos Afonso

    Uma coisa que me surpreende é que de acordo com as estatísticas (bem sei as irmãs gémeas da falta à verdade) a nossa população não tem crescido de forma significativa, contudo continua-se a construir a eito acha-se normal.Moro em Santo António dos Cavaleiros e hoje quando acordei acordei ao som de uma veículo de emergência (nada fora do vulgar) o aborrecido é que passavam muitos e tentei então perceber porquê. Abri a persiana e vi que estava a chover e pensei que estava a ver uma repetição de 1994 ou 95 (não tenho bem presente). (Foi a primeira vez que vi um engarrafamento por cá. Foi mais rápido vir a pé desde o centro até minha casa.)Só que pelos vistos era ainda mais grave, foi a primeira vez que vi passar veículos celulares (julgo que em direcção ao tribunal de Loures) pela Av. Luis de Camões (a que passa entre os depósitos de água e o centro comercial da cidade nova). Percebi que a antiga estrada nacional estava fechada ao trânsito. Em 25 anos de residência intermitente aqui foi a 2 vez que tal se passou (uma no final do anos 80 e esta, nem em 9x se verificou tal.)Outro problema que se verifica é que se deixou construir em leito de cheia em vários sítios neste concelho e se esqueceu de construir sistemas que obviassem problemas. Pelos vistos só as companhias de seguros têm juízo nesta situação (não aceitando subscrições em alguns dos locais como a baixa de Sacavém).Limpeza de sarjetas deve ser algo para povos mais atrasados que o nosso. A nós deve bastar esperar.Já agora quantos de nós terão verificado os algeroz, já vi muita inundação, por entrada de água nos telhados por estes estarem completamente fechados devido a ninhos e dejectos de aves.Quanto a construção em qualquer lado. Há 15 anos quando adquiri o apartamento verifiquei junto da Câmara o que seria e onde seria possível construir aqui à volta. Havia a norte uma mancha de reserva agrícola nacional e ia ficar com uma bela vista. Hoje (aliás nos últimos 4 anos) um antigo terreno agrícola foi miraculosamente transformado em terreno edificável (com um novo bairro já praticamente construído).

  • RSS
  • Twitter
  • Buzz
  • LinkedIn
  • Flickr