Carlos Serrão

as minhas notas e página pessoal…

Perigos do “Copy-Paste”

| 5 Comments

O maravilhoso mundo da Internet veio abrir novas possibilidades na forma de acesso, e na quantidade de informação disponível. Isto veio fazer com que todos nós possamos aceder a mais informação, num determinado momento, sobre um determinado assunto, do que alguma vez imaginamos.

Mas toda esta disponibilidade de informação, tem igualmente as suas desvantagens. Principalmente no que toca à qualidade e validade da mesma.

Não deixa de ser interessante, para um professor (como é o meu caso), que a maior parte dos trabalhos que atribuo aos meus alunos sofram deste mesmo fenómeno. Os trabalhos dos alunos, hoje em dia, são cada vez mais baseados em informação web (sites de web diversos, blogues, wikipedia, etc.) do que propriamente em fontes mais tradicionais, como por exemplo, os livros ou artigos em revistas ou jornais.

Por outro lado, alguns alunos acabam por ceder à tentação do copy-paste directo, sem filtrarem a informação, e sem sequer fazerem referência à mesma. Atenção, que isto é algo que não ocorre apenas entre os alunos.

Nunca mais me esqueço de algo que vi na TV, num concurso de beldades. Perguntavam às meninas, as capitais de diversos países. E chegou a vez de perguntarem a uma delas qual era a capital da Austrália. A menina respondeu “Sydney”. E o apresentador respondeu, “está errado, a capital é Canberra”. E a menina voltou à carga, “Mas, eu estive a ver na Internet, e lá dizia que era Sydney!!!”.

Este estudo, aponta algumas das oportunidades e desafios colocados por esta disponibilidade de informação proporcionada pelos principais motores de busca, principalmente o Google.

Vale a pena a sua consulta, pois apresenta alguns factos muito interessantes.

  • Rita

    até a wikipedia é uma fonte de erros e de “alterações” convinientes. basta ver que em cada lingua está uma descrição diferente…

  • Carlos Serrao

    @AnaA wikipedia é um excelente recurso. Mas não deve ser o “único” recurso. Deve ser sempre complementado com outras fontes de informação, de caracter mais fiável.

  • Daniel Poças

    Eu sou estudante de marketing no IPAM, e algumas professoras não nos aconselham a utilizar a wikipédia com a justificação de que por vezes a informação pode não ser a mais correcta. Eu concordo, já me deparei com alguns erros, mas, é melhor do que nada! Os livros existem por alguma razão, e sinceramente, é de louvar aquelas pessoas que “perdem” tempo ao colocar “material” na wikipedia.Mas o plágio neste momento é uma situação constante. Honestamente eu concordo com o facto de se utilizar trabalhos já feitos, até porque, não vamos reinventar a roda, mas pelo menos, referenciar e citar as pessoas que o fizeram. Isso obriga a uma leitura para escolher as melhores e mais importantes frases de onde se retira informação, o que faz que, pelo menos, se retirem algumas noções sobre o assunto em questão.

  • Carlos Serrao

    @DanielA wikipedia é um excelente recurso. Só acho que não deve ser: a) o principal recurso, e b) o único recurso.É óbvio que a informação que está lá contida é escrutinada publicamente, mas esse escrutínio depende do interesse do público por esse mesmo assunto. O que significa que encontras por lá informação muito boa, assim como “lixo”.Utilizar trabalhos de terceiros, para consulta, obter ideias, sim!!! Usar trabalhos de terceiros para fazer copy-paste, escondendo-se por detrás do argumento, que não podemos criar nada de novo, porque alguém já o fez, não!!!Igualmente sempre que se utilizarem trabalhos de terceiros, deve ser feita a correcta referência aos mesmos.Neste momento, os professores debatem-se com problemas graves de plágio. Cópias directas de outros trabalhos, descaradamente. Ou então traduções de outros trabalhos. E este é um plágio dificil de detectar.Confesso, que para além de ser mau para o autor original do trabalho, é mau para o plagiador, porque acaba por não aprender nada.Não é à toa, que algumas Univerdidades americanas, estão a desenvolver ferramentas que permitem automatizar a detecção de plágios.Enfim, é um assunto muito tricky!

  • Carlos Serrão » Enciclopédia vs Wikipedia

    […] a propósito… ainda no outro dia tinha colocado a aqui um post sobre este mesmo assunto, e eis que agora há um estudo com revelações muito interessantes sobre […]

  • RSS
  • Twitter
  • Buzz
  • LinkedIn
  • Flickr